Ferrari vs McLaren: A briga das pistas continua no Salão de Genebra 2017 (parte 2)

Uma das maiores rivalidades das pistas teve mais um episódio no Salão de Genebra 2017: Ferrari e McLaren apresentaram seus novos modelos. Enquanto a italiana apostou em uma clássica berlinetta de motor dianteiro, sua rival manteve a fórmula do motor central-traseiro.

Apesar de concorrentes, ambas apresentam diferentes visões de um mesmo produto. A Ferrari sempre buscou um caminho mais emocional, enquanto a McLaren sempre foi engenharia pura. Pensando nisso, concluímos que essa seria uma grande oportunidade para colocar os carros lado a lado e ver o que cada um tem de diferente.

Essa é a segunda parte da história e se você não leu a primeira parte, clique aqui, se já leu, hoje vamos falar da:

 

720S: A McLaren superando limites

"Em um determinado dia, em uma dada circunstância, você acha que você tem um limite. E então você busca esse limite e encosta nele, e então você pensa: ‘Certo, esse é o limite’. Logo que você atinge esse limite, alguma coisa acontece e de repente você pode ir um pouco mais longe."

Aproveitando o forte elo entre Ayrton Senna e a marca, o vídeo promocional da 720S trás Bruno Senna pilotando o carro e as palavras inspiradoras do seu tio Ayrton.

A empresa vem ganhando força na briga com a Ferrari e a prova disso são os vários clientes que a marca italiana perdeu nos últimos tempos. A McLaren vem aumentando sua linha de modelos e o novo nome na lista é o 720S, que veio substituir o 650S.

A McLaren tem dado passos cada vez mais ousados em seu design, mas sempre obedecendo as necessidades aerodinâmicas - alguns até dizem que a ordem no studio da empresa era "Transformar requisitos de engenharia em algo bonito". Parece simples mas tem muita coisa funcional e feia por aí...

Mas chega de enrolação e vamos ao que interessa! E o trabalho aqui é mais complicado que no caso da Ferrari, pois as mudanças de um modelo para outro na McLaren foi extremas!

O conjunto de faróis é algo totalmente novo e foge do antigo modelo que imita o logo da McLaren. A 720S resolve o problema aerodinâmico unido faróis e entradas de ar - e a Ferrari fez a mesma coisa na 812, lembra? A solução da McLaren, no entanto, parece melhor resolvida e ainda garante uma "cara de mau' para o carro.

Outro ponto interessante é que as linhas da 720S "apontam" para o "bico" (faróis, capô, entradas de ar no para-choque), enquanto que na 650S os faróis "apontam" para fora e existem menos vincos e detalhes na frente. Isso também contribui para um visual mais agressivo da 720S.

Algumas mudanças na traseira, mas o "jeitão" continuou o mesmo: faróis escondidos numa área escura, parte de baixo "sem nada" e mesmo padrão de escape, mudando apenas o formato (na 720S é circular). Esse detalhe de fazer a traseira com grandes regiões de sombra fazem com que o carro pareça mais rápido, pois visualmente parece que não tem nada na parte de trás - e mesmo quando tem bastante coisa, eles pintam de preto fosco. Quem abusa desse artifício é a Lamborghini.

Na lateral, mudanças consideráveis! O que era uma entrada de ar sumiu e agora o tema principal é uma saída de ar e os vincos fluidos e dinâmicos, além do volume meio batido mas bem executado do "ombro". Aqui vale ressaltar que a mudança da entrada de ar é bem séria pois o motor traseiro precisa muito do ar que vinha dali. Se tiraram a entrada de ar da lateral, por onde o ar está entrando no motor??

Conseguiu achar na foto de cima? Não?

E nessa, conseguiu? Ainda não?

Olha o tamanho das entradas de ar escondidas ao lado das janelas!! Que solução hein! Além de parecer uma nave espacial com esses faróis alienígenas e essa cor, a tecnologia do projeto parece de outro mundo mesmo!

Mas o que tem espantado mais não é o design nem a tecnologia da McLaren mas sim suas vendas! A McLaren Automotive foi separada de sua dona - a McLaren Racing - em 2010 e já vende o mesmo número de carros que a Lamborghini!!! De 2015 para 2016 ela dobrou seu número de unidades vendidas e já chega perto de seu alvo: 4.000 unidades por ano.

O estranho disso tudo é que a Ferrari tem meta de vender 8.000 carros por ano... Ela hoje possui 4 modelos (sem contar as variações): 812 Superfast, GTC4 Lusso, 488 GTB e California (que já está meio velhinha...), além da LaFerrari. Já a McLaren possui: 570S e 720S, além da P1. Se tirarmos P1 e LaFerrari da conta (que são pouquíssimas unidades por ano), a Ferrari está com o dobro de modelos e o dobro da meta (quando atingir a gente dobra a meta...).

Na primeira parte da matéria, falamos do novo design da Ferrari que caminha para algo mais complexo, deixando um pouco de lado o histórico fluido e belo da marca. Isso, no entanto, pode ser um sinal de algo ainda mais sério: no fundo pode ser uma busca pelo aumento das unidades vendidas (por isso uma meta tão alta), caminhando para um design mais comercial e menos exclusivo.

Enquanto isso, McLaren não tem nada a perder. Com uma história de carros de rua ainda se iniciando e bastante atitude e qualidade, a marca inglesa tem muitas chances de se firmar como exclusiva de fato, enquanto a Ferrari pode se perder na briga pelas vendas... Isso pode ser pressão do mercado: a Ferrari lançou ações no mercado em 2015 e os acionistas podem estar pressionando para aumentar o lucro. É uma hipótese...

Tomara que eu esteja bem errado, mas os sinais estão aparecendo...