Para que serve um carro conceito?

Com tantos Salões do Automóvel acontecendo por aí (e por aqui também!) e tantos carros conceito sendo revelados dia após dia, você já parou para se perguntar para que serve um carro conceito?? Diversão dos designers, vontade dos diretores ou existe algum propósito por trás desses carros?

Construir um carro do zero inclui diversas etapas: pesquisa de mercado, desenvolvimento de modelos intermediários e do modelo final e várias outras. Dentro dessas etapas, além do próprio material que se gasta, existem vários funcionários trabalhando - e que poderiam estar trabalhando em outras coisas! Além de fazer parte do time deixar de trabalhar em carros de produção, as empresas ainda gastam com todas essas coisas que falamos (salários, materiais, tempo, etc).

Deve ter um bom motivo para isso...

É claro que tem! Tem vários! Muita gente não liga para isso mas empresas existem para gerar lucros e só se consegue isso investindo no lugar certo. Como saber, então, qual o lugar certo para investir? O melhor modelo para lançar? O público certo para atingir?

Se você já leu o The Lean Startup (A Startup Enxuta), do Erick Ries, você sabe que grande parte das empresas de tecnologia do Silicon Valley acredita que a melhor forma de agir é desenvolvendo produtos simples e jogar o mais rápido possível para os consumidores testarem. Os próprios usuários vão dando feedback e gerando soluções naturais e o produto, que no início era bem simples, passa por várias alterações e rapidamente evolui.

De forma semelhante (mas não tão rápida) as empresas automotivas precisam testar suas ideias (novos carros) e a melhor forma é apresentá-las ao público. Com certeza é caro construir um carro conceito, mas muito, muito mais caro é investir numa estrutura enorme de moldes e peças novas para criar um modelo de produção e ele dar errado...

Além de fazer sentido econômico, tem o efeito da marca: ele é um símbolo, o primeiro contato do futuro da empresa com o cliente e por isso ele é tão importante. Um bom carro conceito pode chamar muita atenção para a empresa ganhando destaque na mídia (um conceito ruim também chama atenção mas tenho certeza que não é do jeito que queriam...).

Como o nome já diz, nele se concentra (ou deveria se concentrar...) o conceito, a essência da marca para testar se aquele é um bom caminho a seguir. Dependendo da reação do público, da imprensa e do mercado, o time passa a pensar em como levar aquele carro "ideal" para o mundo real.

Mas aí é outra história... Essa parte e os outros motivos para se criar um carro conceito a gente deixa para a próxima!