Por que o novo conceito da VW NÃO vai ser melhor que o Fusca

Esse post ficou um poquinho longo e alguns vão querer cortar nossa cabeça depois de ler, mas aguente firme! Vá até o final! Vai, no mínimo, fazer você refletir um pouco. Essa matéria foi escrita alguns dias antes da VW apresentar o conceito, mas preferimos não alterar o conteúdo, mesmo com as fotos oficiais do carro.

Como sempre, estamos abertos a críticas e sugestões e, se achou que acertamos ou que falamos besteira, os comentários estão aqui pra isso!


Nas últimas semanas, grandes revistas e sites estão divulgando matérias e matérias sobre o novo conceito da Volkswagen que vai, supostamente, revolucionar o mercado automotivo. O carro utilizará uma plataforma elétrica em desenvolvimento pela Volks e já liberaram alguns sketches e teasers.

Nada a dizer sobre os sketches. O Akos Szaz manda muito bem e tem um estilo único, cheio de atitude - e se você não conhece o trabalho do cara, trate de fuçar o blog dele e salvar nos favoritos.

 

A questão aqui é mais filosófica...

 

Dois dias após anunciar que o conceito seria lançado no Salão de Paris (que começa dia 1 de Outubro), a Volkswagen voltou aos holofotes dizendo que o veículo será: "Tão revolucionário quando o Fusca foi há 70 anos atrás".

 

Maluuuco, coragem pra falar um negócio desses, hein!

 

Impressionado com a notícia (e muito cético - como deixei bem claro no título), resolvi apresentar os motivos que me fazem acreditar que esse conceito NÃO vai ser melhor que o Fusca:

 

O Fusca é um ícone de muitas gerações

 

Não importa quantos anos você tenha, se você está lendo essa matéria já deve ter visto um Fusca na sua vida e, provavelmente, tem uma lembrança desse carro. Seu avô, seu pai ou até você já teve um Fusca. Você já viu filmes com o Fusca. Você já andou em um Fusca.

Não importa quem você seja ou de qual geração é, você reconhece um Fusca de longe. E sobreviver a 7 décadas é uma façanha incrível que pouquíssimos produtos conseguiram realizar - não importa de que produtos estejamos falando! Isso nos leva ao segundo motivo:

 

Poucas coisas se comparam ao Fusca

 

Podemos até sair do ramo de produtos: vamos expandir o horizonte. Extrapolando mesmo! Pense em algo tão revolucionário quanto o Fusca foi.

 

Algumas ideias vem à minha mente: o iPhone; os Beatles; Ayrton Senna; o quê mais?

Existem vários exemplos de coisas e pessoas revolucionárias a ponto de sobreviver a gerações e gerações sem ter a imagem abalada. Você pode não gostar de Beatles ou usar um Samsung com Android e odiar IOS e o culto ao iPhone, mas todo mundo sabe a revolução que eles causaram quando surgiram e não dá pra questionar que, mesmo com o tempo passando, eles vão continuar sendo o que são, sem que nada afete a imagem que eles possuem.

 

E isso nos trás ao ponto chave da questão:

 

Situações desesperadas exigem medidas desesperadas

 

Se você acompanha um pouquinho as notícias que aparecem por aí, sabe que a VW fez besteira há pouco tempo atrás e se envolveu num baita escândalo fraudando resultados de testes de emissões de poluentes.

 

Situações como essa acontecem em diversas indústrias. Empresas querem lucros e mais lucros e acabam cedendo à ganância e cometem atividades ilegais - ou crimes, se preferir - (estamos bem acostumados com isso no Brasil, né...). Mas com a Volkswagen a pedrada foi ainda maior. Ninguém esperava isso da tradicional marca alemã que avançava a passos largos na indústria automotiva.

 

E a queda foi feia: teve que pagar 18 bilhões de Euros (!!) como multa, viu suas vendas caírem mais de 20% e teve sua marca totalmente abalada por conta do escândalo. (Aqui no Brasil sentimos pouco essas coisas - mas os consumidores americanos e europeus fizeram cara feia e xingaram muito no Twitter).

 

Agora pense bem e se coloque no lugar da Volkswagen: quando você faz burrada e todo mundo vê, qual a melhor (ou única) atitude a tomar? Assume o erro, bola pra frente e torce pra galera esquecer rápido! Mas quando o erro é muito grande, demora...

 

E então a VW pensou: para apagar péssimas notícias, nada melhor do que ótimas notícias!

 

A Volks precisa recuperar a confiança do cliente e o melhor jeito é mostrar algo novo!

 

Revolucionário!

 

Único!

 

Algo melhor do que o próprio Fusca!!

 

Um conceito elétrico totalmente novo que fará todo mundo esquecer de vez os escândalos!

 

Não mete essa, né...

 

Quando o tiro sai pela culatra

 

Não estou dixendo que o carro vai ser ruim ou feio! Nada disso! Como falei antes os sketches estão bem legais e os teasers bem interessantes, mas "revolucionário" é puxado, né? "Melhor do que o Fusca" é difícil de aceitar.

O conceito tem uns traços de Golf, cara moderna e sei que o time se matou pra dar o melhor em um projeto de muita expectativa.

 

Mas aí está o problema: expectativa!

 

O alto escalão da empresa, doido pra remediar os problemas, quer ver algo realmente revolucionário como o Fusca foi. E mesmo que consiga, as feridas estão bem longe de fechar!!

 

E o pior: no meio dessa confusão toda está o designer, o engenheiro, o operário, que tem que se virar ao contrário pra resolver burrada da diretoria!

 

Por esses caras que se matam pra fazer a empresa dar certo, eu realmente torço pra que o conceito seja tão sensacional quanto dizem; mas, dados os fatos, a chance de vir "mais um conceito elétrico" é bem grande...

HUE


Comentários:

Quer comentar, reclamar, elogiar ou espernear? Fique à vontade! Mas lembre-se de 2 coisas:

  1. Seja educado! Pense duas vezes antes de enviar alguma coisa: você mostraria esse seu comentário para sua vó? Não?! Então use o bom senso!
  2. Quer fazer propaganda? Os comentários não servem pra isso. Mande um email para nós através do Contato.

Qualquer comentário que não respeite essas duas regrinhas básicas de convivência serão excluídos sem qualquer aviso prévio. De resto: a casa é sua!